Posts Tagged: textos da rai

Se você pensa que só vai pagar pelos seus vacilos depois que morrer, mano eu tenho péssimas notícias pra você . A frase de para-choque de caminhão mais certa que já vi na minha vida é: AQUI SE FAZ, AQUI SE PAGA!
Eu tenho 27 anos e não precisei de mais que isso pra receber de volta (com juros beeem alto) boa parte das vezes que fui escrota na minha vida.

  • Você foi aquele jovem que sentava no banco preferencial do busão e fingia estar dormindo quando um idoso ou grávida entrava? Aguarda amigo, sua hora vai chegar.
  • Você foi aquela amiguinho sem noção, que não respeitava a presença do namorado da sua amiga com a desculpa de “sou amigo dela antes de você”? Então, o mundo gira e em breve você vai deixar de “ser” o amiguinho” pra “ter” um amiguinho.
  • Se você foi aquela filha sem consideração, que saía sem dar explicação ou dizer onde estava deixando seus pais preocupados durante a noite. Só questão de tempo pra você passar pela mesma coisa.
  • Você foi aquela ex-nora que vivia enfiada na casa do ex com o argumento, ainda que verdadeiro, de “sou amiga da família”? Aguarde, a vida vai te trazer uma ex sentada no sofá da sala numa tarde de domingo, e aí depois você me conta como se sentiu.
  • Se você foi aquele cara espertão que conseguiu “dá uma volta” no balconista da farmácia quando ele te deu 10,00 a mais de troco. Se prepara porque a vida vai tirar esses 10,00 da sua carteira! E talvez sejam aqueles últimos 10,00 que estavam resistindo ao final de mês.

Esses foram alguns exemplos hipotéticos para que possamos nos lembrar que a vida consegue ser incrivelmente escrota e incrivelmente justa num curto espaço de tempo e com a mesma facilidade. Acredito que eu tenha descoberto a tempo, a importância da empatia e de não fazer com o coleguinha aquela porra que me machuca. Se eu tô conseguindo eu não sei, mas tô tentando. Tem gente que nem isso faz.
Desejo que você tente, e não se esqueça: a vida devolve!

Beijo,

Rai!

A vida devolve!

Raramente conto para as pessoas a minha trajetória de sair de uma cidade pequena (Angra) com 17 anos e vir morar numa cidade grande (Rio de Janeiro). Só as pessoas que me conhecem a mais tempo, me acompanham regularmente sabem sobre isso. Não curto falar porque tenho a impressão de que estou caçando elogios e frases de espanto, do tipo “noossa, você é uma guerreira hein!”, coisa que já ouvi algumas vezes e gostava porque massageava meu ego😎#sincerona 


Com o passar do tempo fui ficando cada vez mais intrigada. Gente, mas que porra de espanto é esse que as pessoas veêm quando conto isso? Eu não fiz nada demais, só escolhi um caminho que achava certo e segui. Arquei com o ônus e o bônus daquela escolha, entendi que o começo seria complicado e fui. Era minha obrigação buscar o que me fazia feliz!
Você não curou nenhum câncer, você só assumiu a responsabilidade por uma vida que é sua. Acho (puro achismo) que esse espanto acontece quando somos educados, principalmente na h
ora de precisar do outro. Porque pai e mãe “tem-que-fazer” de tudo por nós e precisamos escutar do amor da nossa vida “vou te fazer feliz”. Não, péra, não por favor! Lembrei de uma música do Charlie Bronw Jr (que saudade do Chorão😖) que dizia: “Eu vi o tempo passar e pouca coisa mudar, então tomei um caminho diferente!”

O caminho diferente é seu, quem vai chorar pela estrada é você, quem vai dormir na calçada é você e quem vai chegar feliz no destino também é você. Se você puder contar com pessoas generosas que façam sua viagem mais leve e te paguem um café será ótimo, mas não planeje sua partida contando com eles.

Nesse ônibus só tem passagem pra 1!

VOCÊ É UMA GUERREIRA?